Justiça: Homem é condenado por matar ex-companheira após 10 anos do crime

O réu Anderson Silva Brito foi condenado a quartoze anos de prisão pelo assassinato da ex-companheira, Kerly Karla Pereira, na tarde de quinta-feira (31). O crime aconteceu em julho de 2009 no bairro Presidente Kennedy, em Fortaleza. Na época, a mulher registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) contra o acusado, mas não solicitou medidas protetivas urgentes.

Conforme o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), Anderson Brito estava inconformado com a separação e procurava constantemente Kerly. Em um desses encontros, ele assissonou a mulher na calçada do posto de saúde do bairro Presidente Kennedy. 

De acordo com a defesa do acusado, ele não pretendia matar a ex-companheira, estava com a arma para assustá-la, mas disparou acidentalmente. Contudo, segundo a denúncia do MPCE, três dias antes do crime, ele tinha ameaçado de morte a vítima. Com os boletins de ocorrência registrados por Kerly, também ficou comprovado que ela sofria constantes agressões físicas e morais por ele. 

O argumento de defesa de Anderson foi negado, foi comprovado que a alegação de disparo acidental não tinha fundamento técnico, pela ausência de perícia, já que a arma ficou com o acusado e pelos relatos das testemunhas do crime, que  afirmaram que o acusado disparou contra a vítima. O homem foi condenado por feminicídio

Filho

Kerly tinha um filho com Anderson, na época do crime, ele tinha três anos de idade. Após o assassinato da mulher, a criança ficou sob a guarda dos avós maternos. Desde então, o acusado não teve mais contato com o filho.

Fonte: DN

Posts Relacionados

Sobre o autor

Adicionar Comentário